Reflexões… :: O Isentão

26 de Outubro, 2018
Um hipopótamo num campo de flores.
Heim?

Algumas pessoas se recusam a posicionar-se em situações que requerem uma análise mais cuidadosa. Não estou falando sobre não opiniar quanto a algo que não se tenha informação suficiente para tanto. Falo em pesquisar, se informar, e mesmo assim continuar em cima do muro.

Por exemplo: dizer que Darwinismo e Criacionismo mereçam o mesmo respeito, que são visões equivalentes, mas opostas. Não.

Ou dizer que Terraplanismo precise ser levado a sério. Não.

O nome disso é falácia da falsa equivalência: o “isentão” apresenta com equivalentes dois argumentos que não são, aproveitando-se de uma virtual similaridade.

O Darwinismo é uma teoria científica validada, enquanto o Criacionismo não passa de achismo corroborado apenas por ignorância histórica.

O mesmo vale para o Terraplanismo: evidências de que a Terra é um esférica não podem ser ignoradas, mesmo assim algumas pessoas preferem acreditar que tudo não passa de uma grande conspiração.

E se você acha que é apenas uma teoria, sugiro jogar-se do alto de um prédio para provar que a Teoria da Gravidade é apenas uma teoria.

No meio disso tudo há “O Isentão”: o sujeito que, mesmo se esclarecendo, prefere ficar em cima do muro.

É muito mais comum na política. Atualmente, por exemplo, cientistas sérios se posicionam com embasamento sólido, enquanto canais nutela forçam uma falsa equivalência entre as partes.

O que motiva “o isentão” a ficar em cima do muro é nada além de medo. Há basicamente três tipos de medo que o manipulam:

1️⃣ Medo de represália: quando você se posiciona, mesmo com embasamento no lugar de achismo, quem se sente “agredido” por sua posição (geralmente o opressor numa relação de opressão) tende a retalhar seu posicionamento para evitar que outras pessoas se esclareçam também.

2️⃣ Medo de ser manipulado: normalmente o isentão não possui capacidade cognitiva para discenir as informações que recebe. Ele vê outras pessoas igualmente incompetentes sendo manipuladas, então ele não vê outra alternativa para parecer inteligente além de não se posicionar. O que ele não percebe é que, em não se posicionando, também está se tornando massa de manobra a favor do opressor.

3️⃣ Medo do confronto: qualquer pessoa que se posiciona terá suas posições naturalmente confrontadas. É então que o embasamento se mostra importante, uma vez que achismo não sobrevive a confrontos. Porém o isentão não possui capacidade para entender as informações que ele obteve, daí não tem nenhum embasamento de fato. Ao não se posicionar, não há o que ser confrontado – ou assim ele crê.

Quero reiterar que absolutamente ninguém tem a obrigação de opinar ou se posicionar sobre algo sem o conhecimento necessário para tanto, porém se isentar para fingir inteligência é uma desonestidade intelectual ainda maior do que se posicionar por achismo.

Educação e Cultura | Pessoal | Política