Reflexões… :: Desconforto

24 de Fevereiro, 2018
Um hipopótamo num campo de flores.
Lâmpada

Desde que decidi aceitar meu autismo, o maior problema que venho enfrentando é entender o que me incomoda, o que me causa desconforto.

Minha mãe me educou a acreditar que todo descoforto é “frescura”, que eu deveria sempre ignorar. Se os outros conseguem, por que não eu?

A resposta eu não sei se ela realmente sabia: porque eu sou autista! Meus sentidos são descalibrados em relação às demais pessoas. Ando de cabeça baixa na rua não por timidez ou medo, mas porque o excesso de estímulo visual me sobrecarrega. Evito ambientes com muitas pessoas não por não querer estar com elas, mas porque o excesso de barulho me sobrecarrega.

Então passei minha vida toda fingindo que nada estava acontecendo, que eu não estava incomodado. Isso me causou dois problemas: o primeiro é que toda essa pressão para parecer normal e tolerar o que eu acreditava equivocadamente que os outros também aguentam me causa um acúmulo sobre-humano de ansiedade.

O segundo problema é que, de tanto mentir pra mim mesmo, acabei perdendo a a capacidade de perceber e identificar o que me incomoda. Quando algo me causa desconforto, eu nem chegou a perceber, apenas vou ficando irritado, até perder o controle, sem nem ao mesmo me dar conta do motivo.

Meu conselho é que jamais tratem desconforto como frescura, vocês não sabem o mal que fazem a seus filhos ou a si mesmos. Aprendi a tolerar níveis de desconforto muito acima do que a maioria das pessoas, no entanto com alto prejuízo para minha saúde e efeitos danosos nas relações sociais.

Autismo | Pessoal | Psicologia