Reflexões… :: Literalmente

10 de Dezembro, 2017
Como um hipopótamo lida com um campo de flores.
T.E.A.

As pessoas acham que ser literal significa não entender sentido figurado, ter dificuldade com conotações. Bem, talvez algumas pessoas não entendam, mas esse não é meu problema.

Entendo conotação: não passa de um outro sentido da palavra ou expressão, parte do vocabulário. Sei que “chover canivetes” significa chover muito, não literalmente canivetes.

Meu problema é não entender o subentendido, as entrelinhas. As pessoas dizem coisas, mas deixam de dizer outras por acharem obviamente subentendido. Pois então, pra mim não é óbvio.

Um exemplo clássico é quando alguém faz algum comentário negativo sobre si mesmo esperando um elogio. Pra mim não é óbvio.

— Ah! Hoje estou me sentido feio(a).

E eu respondo: Verdade, já teve dias melhores.

E a pessoa fica me olhando com cara de tacho.

Ou quando minha esposa fica chateada comigo porque ela pediu “limpe a cozinha”, e eu não limpei o fogão. Obviamente lipar o fogão faz parte de limpar a cozinha. Não pra mim.

Ser literal significa que eu nunca sei se a pessoa está falando sério ou brincando, representando um personagem, a menos que ela seja explicitamente sarcástica.

Ser literal significa que vou dar preferência a usar as palavras com o sentido mais literal possível, inclusive usando palavras que as outras pessoas não usam em substituição a expressões de duplo sentido.

Ser literal significa que vou definir os conceitos que usar numa conversa, a ponto das pessoas se irritarem.

Mas isso é parte de quem eu sou.

Autismo | Pessoal