Reflexões… :: Apanhado geral sobre síndromes do espectro autista

25 de Outubro, 2017
Como um hipopótamo lida com um campo de flores.
Lâmpada

Em função da condição de meu filho, tenho pesquisado bastante sobre TEA, as síndromes envolvidas e suas diferenças. Resolvi escrever este artigo apenas como referência pessoal, mas de alguma forma tentando ser útil e o mais informativo possível dentro do tópico a que me propus.

Observação

Pessoalmente não considero a neurodiversidade uma doença, mas uma condição. No entanto, como este artigo tem proposta informativa, me ative ao que diz a literatura oficial da OMS, que trata o autismo como transtorno (disorder).

Autismo (CID-10 F84)

A OMS classificou em 2016 o autismo como Transtornos Globais do Desenvolvimento (em português na página da MedicinaNET), código F84. A partir de 2018, passará a ser chamado Transtorno do Espectro Autista (TEA) no CID-11, código 6A02, sob o tópico 6 (transtornos mentais, comportamentais e de desenvolvimento neurológico).

Por ora, há cinco transtornos relacionados com TEA:

Além desses transtornos, ainda há duas condições associadas, mas que não são TEA: Savantismo (F84.9) e AH/SD.

Síndrome de Kanner ou autismo infantil (F84.0)

A Síndrome de Kanner ou autismo infantil é aquele autismo clássico do qual todos nos lembramos como referência quando se fala em autismo.

Apresenta as seguintes características:

  • Incapacidade de se relacionar afetivamente com as pessoas desde os primeiros anos (questionável).
  • Uma ansiedade excessiva e desejo de manter-se na mesmice.
  • Falta da linguagem falada ou uso da linguagem sem intenção comunicacional.
  • Sensibilidade acima da média para estímulos internos e externos.
  • Fascinação por objetos como uma folha, tampas ou cordas, que são tratados com habilidade e destreza.

Foi identificada pela primeira vez pelo austríaco Leo Kanner, que publicou seus estudos em 1943.

Síndrome de Asperger (F84.5)

Atualmente a Síndrome de Asperger vem ganhando popularidade com o crescente número de aspies (nome dado aos autistas com esse transtorno) palestrando em nome dos neurodiversos.

Suas características:

  • Falta de reciprocidade e empatia nas interações sociais, apesar de desejar certo grau de interação.
  • Dependência de rotinas repetitivas e uma necessidade de uniformidade nos ambientes.
  • Habilidade de memorização de detalhes dentro de um estreito campo de interesse.
  • Fala formal desenvolvida prematuramente, mas mecânica e pode parecer estranha e pedante.
  • Atenção acima da média para estímulos externos e internos.
  • Falta de destreza motora – marcha e postura diferenciadas.

Foi identificada pelo autríaco Hans Asperger, que também fez suas publicações em 1943.

Asperger e Kanner foram as primeiras pessoas a usarem a palavra “autista” no contexto da Saúde.

Síndrome de Heller (F84.3)

Também chamada Transtorno Desintegrativo da Infância. O autista com esta síndrome apresenta entre 2 e 10 anos perda quase total de pelo menos duas das seguintes funções:

  • Linguagem expressiva.
  • Linguagem receptiva.
  • Habilidades sociais e cuidados pessoais.
  • Controle do esfíncter.
  • Habilidades de jogo.
  • Habilidades motoras.

A Síndome de Heller também apresenta falta de função normal de:

  • Interação social.
  • Comunicação.
  • Comportamento repetitivo.

Foi descrito pelo educador austríaco Theodor Heller em 1910.

Síndrome de Rett (F84.2)

É uma sídrome degenerativa que acomete quase exclusivamente o sexo feminino.

Cada período de idade, chamado fase, tem características próprias. A Wikipédia possui um artigo bem razoável, com informações precisas.

Não pretendo me alongar sobre esta síndrome porque ela é tão diferente do restante dos transtornos do espectro que, no CID-11, será separada em uma classificação totalmente separada, código LE14, sob o tópico 20 (anomalias de desenvolvimento).

PDD-NOS ou autismo atípico (F84.1)

Autismo atípico é como são classificados todos os neurodiversos que apresentam quadro compatível com o espectro autista, mas que não se encaixam em nenhuma das síndromes relacionadas na literatura.

Savantismo (F84.9)

Apesar de estar na categoria F84, o Savantismo não é uma forma de autismo. Porém é comum estar associado em dupla-excepcionalidade.

Aproximadamente 10% dos autistas são savants, porém nem todo savant pode ser classificado como autista.

O savant apresenta as seguintes características:

  • Q.I. muito baixo.
  • Extremamente brilhante em uma área específica.
  • Desenvolvimento comprometido em todas as demais áreas, ao ponto da demência.

Uma característica fenotípica marcante dos savants é que eles apresentam mecanismos de raciocínio muito diferentes, como por exemplo usar cores para efetuar cálculos matemáticos.

AH/SD

Altas Habilidades (superdotado) não são citadas no CID-10 pois não são consideradas um transtorno, mas uma condição.

Nem todo superdotado é autista e vice-versa, e AH/SD também não estão necessariamente relacionadas a Q.I., mas sim à capacidade cognitiva do indivídio.

Principais características:

  • Criatividade.
  • Curiosidade.
  • Boa memória.
  • Obstinação.
  • Fácil aprendizagem.
  • Iniciativa.
  • Impaciência.
  • Inconformismo.
  • Vocação para liderança.
  • Senso de humor.
  • Egocentrismo.
  • Elevado senso crítico.
  • Independência e autonomia.
  • Alto desempenho em determinadas áreas.
  • Amplo conhecimento geral.
  • Difícil sociabilização por falta de interesses em comum.
  • Alta capacidade de influenciar e ou liderar / adaptabilidade social / empatia.
  • Elevado senso competitivo.
  • Autodidatas.

AH/SD, quando em dupla-excepcionalidade com um TEA e outros transtornos, podem sobrepor e descaracterizar alguns indicadores e comportamentos clássicos deles.

Conclusão

Este artigo não acrescenta nada a quem lida com TEA diariamente, propõe-se apenas a ser um informativo impessoal.

Autismo | Psicologia